População idosa portuguesa é pouco saudável

Apenas 9% da população idosa em Portugal apresenta boa saúde, comparativamente a 58% dos idosos na Áustria e 51% na Suíça, segundo um estudo europeu. Continue a ler e fique a saber como cientistas suecos ajudaram as pessoas de idade avançada a manterem a qualidade de vida, com dois suplementos especiais.

A maioria de nós deseja manter-se saudável à medida que envelhece. Esta realidade verifica-se numa grande percentagem de idosos em toda a Europa, excepto em Portugal. Segundo os resultados preliminares do DO-HEALTH, o maior estudo europeu sobre envelhecimento e saúde, a percentagem de pessoas com mais de 70 anos consideradas saudáveis é de 51% na Suíça, 58% na Áustria, 38% na Alemanha e 37% em França. Por oposição, apenas 9% dos homens e mulheres, nesta faixa etária, em Portugal, apresentam uma boa saúde. Os números foram divulgados no princípio deste ano pela Universidade de Coimbra.

Vários factores envolvidos

Ocupar os últimos lugares num ranking da Europa, principalmente a nível da saúde física e mental, não é certamente motivo de orgulho. Embora sejam múltiplos os factores que influenciam a saúde da população idosa, incluindo factores genéticos, sociais e ambientais, existem diversas estratégias para  manter uma boa saúde. Por exemplo, os idosos europeus preocupam-se cada vez mais com alimentação e com o estilo de vida, tentado manter-se fisicamente activos pelo maior período de tempo possível.

Nutrientes que podem ajudar

Outra estratégia que parece ter um impacto positivo na saúde é o consumo de determinados suplementos alimentares. Um grupo de cientistas suecos, coordenado pelo cardiologista Urban Alehagen, da Universidade de Linköping, publicou o primeiro estudo que mostra que um suplemento diário de selénio (SelenoPrecise) e coenzima Q10 (BioActivo Q10 Forte 100 mg), administrado a um grupo de homens e mulheres saudáveis, melhorou a qualidade de vida em vários aspectos. Este estudo, denominado KiSel-10, foi publicado no International Journal of Cardiology, tendo sido notícia em todo o mundo.

Evidências novas e irrefutáveis

Desde a publicação deste estudo inovador, que envolveu 443 homens e mulheres na faixa etária dos 70 aos 88 anos, Alehagen e a sua equipa de investigadores fizeram novas análises às primeiras amostras de sangue, colhidas durante o período de quatro anos em que os participantes do estudo receberam tratamento activo ou placebo. Cada análise permitiu obter novas evidências de que a suplementação faz mesmo a diferença. Ao todo fizeram-se 12 novos estudos desde a publicação do estudo inicial KiSel-10.

Especial atenção para a fibrose

O estudo mais recente confirmou que os dois suplementos administrados em conjunto, contribuem  efectivamente para a manutenção da qualidade de vida e da saúde em geral das pessoas desta idade. Neste estudo, os cientistas avaliaram com especial atenção um fenómeno designado de fibrose, que se observa frequentemente na velhice, e que consiste na formação de tecido cicatricial no músculo cardíaco, resultando numa redução da força cardíaca.

Levedura de selénio patenteada

SelenoPrecise é uma levedura de selénio orgânico, patenteada; e está demonstrado que 88,7% do seu teor de selénio é absorvido pelo organismo. Uma boa absorção é fundamental visto que o selénio:

•    contribui para a manutenção do sistema imunitário normal
•    contribui para o normal funcionamento da tiróide
•    ajuda a proteger as células contra o stress oxidativo

Cada participante do grupo de tratamento tomou 200 microgramas de SelenoPrecise por dia. Este valor é cerca de quatro vezes superior à ingestão média na Europa. SelenoPrecise é a matéria-prima de selénio usada no BioActivo Selénio+Zinco.

Diminui o cansaço e a fadiga

A outra formulação envolvida neste projecto de investigação, foi o BioActivo Q10 Forte, que contém 100 mg de coenzima Q10, bioidêntica, de qualidade superior; e vitamina B2, que contribui para a produção normal de energia, ajudando a diminuir o cansaço e a fadiga.
 A coenzima Q10 é uma substância semelhante às vitaminas, que se encontra no interior das “centrais energéticas” celulares – ou mitocôndrias – onde se produz a energia. O organismo consegue produzir Q10, contudo, à medida que envelhecemos, essa produção endógena diminui. Nos idosos, a produção endógena de coenzima Q10 é muito mais baixa do que em jovens de 20 anos, o que explica porque é que o BioActivo Q10 Forte se tornou um suplemento tão popular entre os mais velhos em toda a Europa.

Saiba mais sobre os dois suplementos em:

BioActivo Q10 Forte 100 mg
BioActivo Selénio+Zinco

Outras noticias