Portugal | Select other Country

O selénio no peixe reduz a toxicidade do mercúrio




Preocupa-se com o facto de ingerir peixe contaminado com mercúrio? O que provavelmente desconhece é que o peixe também contém selénio, um micronutriente que é capaz de reduzir a toxicidade do mercúrio.

Comer peixe é benéfico para saúde. Contém ómega-3, vitamina D, iodo e muitos outros nutrientes necessários para a manutenção de uma boa saúde. Infelizmente, o peixe também está contaminado com metais pesados como o mercúrio. Contudo, um dos micronutrientes presentes no peixe, chamado selénio, tem um papel de extrema importância na protecção contra os efeitos tóxicos do mercúrio.

 

Inactiva o mercúrio

De acordo com o Dr. Nicholas Ralston, biólogo e bioquímico da Universidade de Dakota do Norte nos Estados Unidos, o selénio tem grande afinidade com o mercúrio, conseguindo ligar-se a ele e impedindo que cause danos no organismo, uma vez que é virtualmente ”algemado” pelo selénio.

Durante uma palestra que decorreu recentemente na conferência internacional de selénio em Estocolmo, o Dr. Ralston explicou: “O mercúrio tem a capacidade de destruir selenoproteínas, pelo que é importante obter quantidades adequadas de selénio”.

 

Compensa os efeitos tóxicos

“De facto”, especificou, "o teor de selénio no peixe é 8 vezes mais relevante para a saúde do que a contaminação no mercúrio", ou seja, se o peixe for rico em selénio, a presença de mercúrio deixa ter representar um risco para a saúde.

O Dr.Ralston acrescentou ainda que o conteúdo de selénio em vários peixes, inclusivamente na maioria das espécies de atum, é adequado para compensar os potenciais efeitos tóxicos do mercúrio e que, de uma forma geral, não há motivo para recear o consumo de peixe devido à presença de mercúrio.
Ainda assim, é necessário compreender que o selénio sequestrado pelo mercúrio deixa de estar disponível para a produção das selenoproteínas, que são fundamentais para o organismo.

 

Quanto precisamos?

É do consenso científico geral que um adulto precisa de cerca de 100 a 125 microgramas de selénio por dia, de forma a saturar as diversas selenoproteínas que dependem deste nutrientes para funcionarem de forma adequada. As selenoproteínas têm funções vitais: asseguram uma defesa adequada do sistema imunitário, garantem o funcionamento normal da tiróide e do sistema reprodutor, e protegem as células contra o stress oxidativo.

Uma alimentação equilibrada deve incluir boas fontes de selénio como o peixe, cereais integrais, frutos secos e carne.
Adicionalmente, pode incluir-se um suplemento alimentar quO selénio no peixe reduz a toxicidade do mercúrioe contenha SelenoPrecise, uma levedura de selénio orgânico, com absorção pelo organismo documentada em 88,7%.

 

Leia mais sobre BioActivo Selénio+Zinco