Portugal | Select other Country

Gestão do peso e tiróide - o nutriente a que deve dar atenção




O micronutriente selénio ajuda a glândula da tiróide a funcionar correctamente, o que é essencial para conseguir controlar o seu peso. Leia mais e descubra por que razão algumas pessoas poderão necessitar de um suplemento.

“Posso culpar a minha tiróide por não emagrecer?” Esta pergunta é título de um artigo publicado em www.publico.pt (dia 12 de Maio de 2019), que destaca o micronutriente selénio e o seu papel para a saúde da tiróide. Um tema de interesse para quem se preocupa em controlar o peso.

 

Ajuda as células a queimar calorias

Muitas pessoas não sabem, mas quando a glândula da tiróide funciona correctamente torna-se muito mais fácil manter um peso estável. Uma das funções da glândula da tiróide é produzir as hormonas da tiróide que controlam a taxa metabólica nas células, que são responsáveis por converter as calorias em energia.
Como poderá imaginar, a taxa metabólica é muito importante para o peso corporal.

 

Deficiência em selénio pode comprometer a glândula da tiróide

As hormonas da tiróide precisam de ser activadas para funcionar. Esta “activação” está dependente de selénio, desta forma se tiver pequenas quantidades de selénio no organismo, a sua glândula da tiróide poderá ter dificuldade em funcionar bem.

 

Falta de selénio na Europa

O problema é que muitos europeus nem sempre conseguem ingerir quantidades necessárias de selénio diariamente. Em grande parte da Europa, os solos agrícolas têm baixas concentrações deste nutriente em particular.

Como consequência, as culturas agrícolas nesses solos são mais pobres em selénio em comparação com os campos cultivados em zonas como os Estados Unidos da América ou Japão, cujo conteúdo natural de selénio é muito mais elevado.

 

É difícil obter selénio suficiente a partir da alimentação

Geralmente, as autoridades da saúde recomendam uma ingestão diária de selénio na ordem dos 50-70 microgramas (as recomendações variam de país para país), mas análises nutricionais mostraram que a dieta europeia em média não fornece assim tanto. Em meados dos anos 80, na Finlândia, foi introduzida uma medida para aumentar os níveis sanguíneos de selénio na população finlandesa: o enriquecimento obrigatório dos fertilizantes agrícolas com selénio. Esta estratégia resultou e mantém-se o enriquecimento dos solos com selénio, para se garantir a ingestão de selénio adequada.

 

Um suplemento pode ajudar

Outra forma de resolver o problema é tomar diariamente um suplemento com selénio. BioActivo Selénio+Zinco, que contém uma levedura patenteada de selénio orgânico (SelenoPrecise) desenvolvida especificamente para combater a deficiência de selénio, acabou por ter um efeito muito positivo. Está documentado científicamente que 88,7% do conteúdo de selénio presente no BioActivo Selénio+Zinco é absorvido pelo organismo, e que este suplemento foi utilizado em vários estudos clínicos devido à sua qualidade elevada.

 

Estudo sueco inovador

Em 2013, cientistas suecos publicaram os resultados do estudo KiSel-10, realizado com 443 mulheres e homens idosos. Os participantes foram divididos em dois grupos de forma aleatória, um dos grupos recebeu SelenoPrecise e cápsulas com Q10, enquanto que o outro grupo recebeu placebo (sem substância activa). Após 4 anos, os investigadores puderam observar que o grupo que tomou selénio obteve melhorias significativas na sua saúde. O estudo foi publicado no International Journal of Cardiology.


Mais informação sobre o BioActivo Selénio+Zinco